Apenas um lugar para a gente pensar junto...

sexta-feira, 28 de agosto de 2009

Os cristãos e o "biblicismo"












34 Mestre, qual é o grande mandamento na lei?
35 E Jesus disse-lhe: Amarás o Senhor teu Deus de todo o teu coração, e de toda a tua alma, e de todo o teu pensamento.
36 Este é o primeiro e grande mandamento.
37 E o segundo, semelhante a este, é: Amarás o teu próximo como a ti mesmo.
38 Destes dois mandamentos dependem toda a lei e os profetas.
(Mt 22: 34-38)


Nessa narrativa Jesus foi bastante contundente: todas as Escrituras se resumiam a estas duas ordenanças. Mas o que Ele queria nos ensinar com isso?
Muito! Que esses são os princípios básicos que deveriam reger nosso comportamento. Que vivemos não para nós mesmos, mas para Deus e para o outro. Que se há dúvida em relação a alguma decisão, a alguma escolha, a alguma atitude, o crivo será dado a partir daqui, mesmo que em detrimento disso algumas situações estejam em jogo.
E foi isso que Jesus exemplificou com sua própria vida, quando abriu mão do sábado, ou dos rituais de pureza ou quando se envolveu com a escória da sociedade, comprando briga com a elite religiosa da época, que, com seu extremo zelo, ignorava a vida em função da devoção, vindo assim a pagar sua ousadia com seu próprio sangue.
No entanto, essas palavras permanecem atuais. Os tempos são outros, mas ainda temos dificuldades em fazer valer tais ordenanças. Na verdade acho que somos craques nisso: em complicar o que é simples, daí esse "biblicismo" exarcebado de alguns cristãos. E as coisas se repetem: só mudam os atores, mas as personagens são as mesmas.
Se compreendêssemos de fato as palavras de Jesus não precisaríamos - me atrevo a dizer - da Bíblia. Bastaria a cada dia, em cada momento, avaliarmos a intenção de nossas ações por esse duplo mandamento. E seríamos, então, talvez, não tão bons leitores das Escrituras, mas com certeza pessoas melhores, em um mundo mais justo.

Um comentário:

Alaercio Flor disse...

Basta que amemos uns aos outros...e pronto.O difícil é amar o oposto da gente.Deus é amor,mas nós não estamos dispostos ser imagem e semelhança divina pondo como regra de vida o amor em nossas vidas....Amar é ser divino, é ser semelhança e imagem do Pai, de ser co-autor da criação e da vida....Somente o amor torna a vida terna e terna,sem tempo para acabar.Alaércio Flor