Apenas um lugar para a gente pensar junto...

sexta-feira, 18 de abril de 2008

Uvas-passa (anônimo)

Os frutos verdes são promessas. Ainda há muito a desenvolver e aperfeiçoar. Nesse estágio, são rijos e azedos; inaptos para o consumo. Depois, tornam-se "de vez". Crescem, embelezam-se, a caminho da plenitude, mas ainda precisam maturar a ponto de servirem ao deleite do consumidor. Amadurecem e são então colhidos para alimentar homens, pássaros e outros seres vivos, aos quais ofertam energia e vigor.
Os maduros estão plenos. Macios, doces, são os mais apreciados. Pode acontecer de amadurecerem, porém não serem apanhados. Envelhecem no pedúnculo até caírem, mas liberam as sementes que fecundarão a terra para então renascerem.
Alguns, colhidos em sua maturidade, escapam da degustação e são esquecidos em um canto qualquer até apodrecerem. Na sequência, seu destino será o lixo, sem ter completado o ciclo de vida ou deixado sementes fecundas.
Todavia, as uvas-passa são exemplos de que é possível outra sorte. Não consumidas em sua plenitude, as uvas sofrem um processo próprio de envelhecimento, murcham, mas continuam em apefeiçoamento, mais doces, tão saborosas quanto seu passado maduro.
Hoje, as uvas-passa, ornam bolos de casamento e são finos recursos de decoração. Ganham, assim, o merecido destaque nas mesas e ocasiões distintas. Com a vantagem adicional de, após seu apurado deguste, ainda oferecer a semente para as próximas gerações. Nesse princípio, também vinho tinto envelhece pacientemente em tonéis de carvalho e são aprecisadíssimos.
Quando o ser humano maduro consegue transcender a (i)maturidade, torna-se uma uva-passa. Sabendo tirar as lições de todas as fases e buscando a depuração e a expressão dessa experiência, participará do mundo de forma duradoura e significativa, oferecendo doçura e requinte.
O segredo reside em colher-se como fruta madura, antes que apodreça, aceitar o envelhecimento - de preferência, sem cirurgia plástica; ser maleável, generosa e compreender que seus potenciais e suas limitações são formas que vão além do amadurecer em busca da sabedoria.

Um comentário:

Jackie Kauffman disse...

A vida não é fácil, em todos os seus estágios. A maturidade é linda,mas causa insegurança. É o estágio maior e mais real da natureza humana.E por ser tão medonhamente realista...Causa tudo isto. Que sejamos uvas-passas...