Apenas um lugar para a gente pensar junto...

quarta-feira, 9 de setembro de 2009

Atletismo Bíblico



É incrível o malabarismo que fazemos com alguns textos bíblicos, tirando-os do seu contexto para justificarmos nossa "evangelização".

O texto de Fp 4:13: "tudo posso naquele que me fortalece" é muito usado para afirmar nossos super-poderes espirituais, contudo, Paulo, na carta, acabara de mostrar que sabe passar inclusive por momentos de privações porque sua força está em Deus. Não há indicação nenhuma da afirmação que é feita atualmente, dando a entender que conseguimos tudo o que queremos.

O texto de Ap 3:20: "Eis que estou à porta e bato; se alguém ouvir a minha voz e abrir a porta, entrarei em sua casa e cearei com ele, e ele, comigo" não foi feita em um contexto de atrair prosélitos, como teimamos em afirmar aos descrentes hoje, mas sim à igreja de Laodicéia, o que surpreende por mostrar a ausência de Cristo no coração de muitos crentes.

Outro texto desvirtuado de seu sentido original também é Rm 8:37 quando afirma: "Em todas estas coisas, porém, somos mais que vencedores". No caso, exaltamos o "vencedores", mas ignoramos o pronome demonstrativo que determina o sentido do texto, que é um contexto de entrega à morte diária, distanciando muito da idéia de campeões da fé.

Outro exemplo típico é o de uma frase comum encontrada em muitos adesivos de carro: "Deus é fiel". Contudo, a afirmação carece de um objeto: a quem Deus é fiel? Em Ez 36: 32 o Senhor declara: "Não é por amor de vós, fique bem entendido, que eu faço isto, diz o SENHOR Deus", o que mostra que a fidelidade de Deus não é à a, b ou c, mas ao seu nome, estabelecendo uma diferença bem grande entre aquilo que é feito como "propaganda" de Deus. E assim por diante.

Não é preciso ser doutor em Bíblia para citar seus textos sem ideologias subliminares, mas certamente é necessário sermos mais honestos para não afirmarmos qualquer coisa além do que está escrito, mesmo que a intenção seja a de atrair pessoas para nossas igrejas. O Reino não precisa disso. O primor pela qualidade é mais importante que o da quantidade.

Somente com uma pregação verdadeira é que a igreja do Senhor vai ter a ganhar.

Um comentário:

edney disse...

O que observo, com tristeza, é a crescente não-leitura dos ditos evangélicos. Tornam-se meros degustadores de conteúdos cada vez mais fracos.
Parabéns. Como sempre, você foi afiada e coerente.
Grande abraço.

EDNEY