Apenas um lugar para a gente pensar junto...

sexta-feira, 8 de abril de 2011

Precisa-se de herois

É interessante a maneira como o Brasil cria seus herois. Estou escrevendo um dia depois da chacina do Realengo e igualmente assustada com um crime tão brutal, contudo o que muito me chamou a atenção também foi a elevação do terceiro sargento Márcio Alves à estatura de heroi por ter impedido o assassino de levar adiante seu plano. Sei que seu papel foi crucial. Qualquer pessoa em sã consciência percebe que um maior número de vítimas poderia ter ocorrido caso ele não tivesse aparecido à cena do crime, mas não estaria ele fazendo o seu papel como policial? Ou seja, não é para isso que pagamos nossos impostos também, para que a polícia aja quando necessário? Não é isso que se espera de uma autoridade? Não diminuo sua participação eficientíssima e corajosa, mas fazer dele um heroi me parece puro sensacionalismo piegas. Aliás, pelo que vejo, mais sensata é a posição dele que, perguntado por seus sentimentos diante do ocorrido, respondeu que via-se apenas como aquele que  cumpriu seu papel.
Isso me remete também à outra personalidade: o ex-vice-presidente José Alencar, um homem notável em qualificações morais (exceção à maneira que teria tratado uma moça por dizer-se sua filha ilegítima). Por que tanta comoção em sua morte? Por seu caráter, honestidade, honradez, empreendedorismo, vontade de viver...? Tudo junto ou separado? Admiro sim a maneira nobre como enfrentou sua própria senda de morte, mas não o vejo como um heroi. Ter uma postura como a sua durante a vida é o mínimo que se espera de qualquer pessoa.
Essas duas situações apenas nos mostram como o nosso país precisa de herois pela falta de credibilidade de um povo castigado por suas próprias instituições e personalidades públicas. Neste caso vale o adágio popular: "Em terra de cego quem tem olho é rei".
Lamento o atual estado em que nos encontramos, boiando num mar de lama. Contudo, melhor assim que fazer de jogadores de futebol de caráter duvidoso e claro envolvimento com tráfico símbolos a uma juventude que já não sabe para onde olhar em busca de referenciais.

Ana Valéria

Um comentário:

Alaercio Flor disse...

Que falta ao mundo?Amor.Por que tanta violencia e desrespeito?Por falta de amor.
Se nós não nos amamos, como podemos viver em paz e harmonia???Se nós esquecemos que o outro é o nosso próximo, como a vida pode ser social e respeitosa??Amai-vos uns aos outros.